segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Livros maravilhosos e seus filmes (às vezes) espetaculares - parte 1


Para começar a lista daquilo que não é comida, mas alimenta e faz crescer um bom publicitário, o Pipoca recomenda a leitura de vários livrosqueviraramfilmes. Mesmo que você não tenha visto o filme, ou tenha visto e não tenha gostado, ou tenha visto e adorado, vale a pena conhecer a obra literária que deu origem à história. Mas tente não se prender a comparações do tipo "o filme é melhor que o livro"... Cinema e literatura são duas linguagens diferentes, que resultam em produtos muito diversos entre si. Do tipo "alhos com bugalhos", para lembrar os portugueses.

O Nome da Rosa. O livro de Umberto Eco (1980) virou filme com Sean Connery seis anos depois. A co-produção alemã, francesa e italiana aproveita o lado investigativo da história, que se passa em um mosteiro onde ocorre uma série de assassinatos insólitos. No texto escrito, a ênfase é maior na história medieval e no fato de o acesso aos livros ser restrito a poucos eleitos. O saber era então considerado perigoso, e como pano de fundo estão as fogueiras da Inquisição. Eco também faz uma defesa do riso e da comédia, vistos com maus olhos pela Igreja da época. O título vem da expressão utilizada para denotar o enorme poder das palavras. Tudo a ver com publicidade, hein?

Na imagem, a capa do livro publicado em Portugal pela Difel.

Um comentário:

rafael fontes disse...

Já ouvi falar, mas infelizmente não consegui assistir ou ler ainda.
Espero que tenha na biblioteca o filme. Apesar de preferir os livros, estou sem tempo. =/

Senti vontade de indicar um livro:
O Mundo de Sofia de Jostein Gaarder. Quem sabe um pouco de filosofia e fantasia não abre um pouco a mente?

Compartilhe

Share |